quinta-feira, 22 - outubro - 2020

Indicadores

Adiante, os seguintes indicadores:

  • IEGM (Índice de Efetividade da Gestão Municipal);
  • IDHM (Índice de Desenvolvimento Humano Municipal);
  • IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica).

IEGM (Índice de Efetividade da Gestão Municipal) (TCEMG)

Colocamos os resultados de 2018 para todos os 8 municípios da Microrregião de Diamantina, em ordem de sucesso (o melhor primeiro) e alfabética pelo nome do município (quando os resultados são iguais).

Em 2018

– Datas: B – efetiva.
– Diamantina: B – efetiva.
– Presidente Kubitschek: B – efetiva.
– Senador Modestino Gonçalves: B – efetiva.
– Couto de Magalhães de Minas: C+ – em fase de adequação.
– Felício dos Santos: C+ – em fase de adequação.
– Gouveia: C+ – em fase de adequação.
– São Gonçalo do Rio Preto: C+ – em fase de adequação.

As classificações possíveis para o IEGM são:
A – altamente efetiva;
B+ – muito efetiva;
B – efetiva;
C+ – em fase de adequação;
C – baixo nível de adequação.

Conforme o TCEMG (Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais), a classificação do IEGM é “Baseada exclusivamente em informações prestadas pelos próprios Municípios, sujeitas, todavia, a alterações decorrentes das ações da fiscalização deste Tribunal”.

O IEGM, apurado anualmente, evidencia “A correspondência entre as ações dos governos e as exigências da sociedade. Inspirado no Tribunal de Contas do Estado de São Paulo, o modelo do TCEMG, sob a coordenação da Superintendência de Controle Externo, vai trabalhar com indicadores destinados a compor o Índice de Efetividade da Gestão dos municípios mineiros” (TCEMG, 2015).

IDHM (Índice de Desenvolvimento Humano Municipal)

Achamos interessante, veja: Atlas Brasil.

IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica)

Escola Núcleo Municipal Zulma Rocha dos Santos – anos iniciais do ensino fundamental

– 2013: 5,5 (acima da meta: 5,4).
– 2015: 5,6 (abaixo da meta: 5,7).
– 2017: 6,9 (acima da meta: 6,0).

Escola Estadual Dom João Antônio dos Santos – anos finais do ensino fundamental

– 2013: 5,4 (acima da meta: 4,0).
– 2015: 5,0 (acima da meta: 4,4).
– 2017: 4,2 (abaixo da meta: 4,6).

Segundo o INEP (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), “O Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) foi criado em 2007 e reúne, em um só indicador, os resultados de dois conceitos igualmente importantes para a qualidade da educação: o fluxo escolar e as médias de desempenho nas avaliações. Ele é calculado a partir dos dados sobre aprovação escolar, obtidos no Censo Escolar, e das médias de desempenho nas avaliações do Inep, o Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) – para as unidades da federação e para o país, e a Prova Brasil – para os municípios”.

CONSULTAS E REFERÊNCIAS

TCEMG – Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais: www.tce.mg.gov.br.

Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil (realização: Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento – PNUD, Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada – Ipea e Fundação João Pinheiro – FJP): www.atlasbrasil.org.br.

PNUD Brasil – Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento: www.br.undp.org.

INEP – Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira: www.portal.inep.gov.br.

[Editado em 27-9-2019.]