quinta-feira, 22 - outubro - 2020

Jaconias Lisande Severiano

Jaconias Lisande Severiano, cantor e compositor, nasceu no dia 9-9-1982, em Rio Preto (ainda Felisberto Caldeira, mas já município). Cresceu em Rio Preto.

(Entrevista realizada em 15-1-2015.)

Quando criança se divertia bastante subindo em árvores, andando descalço no meio do mato, sempre teve uma ligação muito grande com a natureza, não gostava de estar numa aglomeração de pessoas (quem diria!).

Com aproximadamente 10 anos de idade cantou pela primeira vez em público, tocando um pandeiro, numa apresentação escolar, para que os seus colegas Adilton e Luana pudessem dançar lambada.

Depois disso, a sua professora Vivica o chamou para cantar uma música para a mãe dela ouvir, a música era “Oceano”, Djavan.

Ele divide o seu início de aprendiz como cantor em duas fases. Na primeira, contou com o estímulo da sua professora Vivica. Na segunda, foi uma busca dele próprio, no que fez aulas de violão com o Raimundo (filho da dona Florentina) e frequentou um conservatório musical.

A partir dos 17 anos começou a tocar violão. Ele acredita que toca de uma forma que é bem própria dele, sendo um dom mesmo.

Além de cantor, Jaconias também é compositor. Ele expressa sentimentos nas suas letras musicais, tem iniciadas mais de 200 (duzentas) músicas, tendo já terminado algumas. Ele sente falta de uma parceria para a feitura e ajuste das músicas, para a vivência da música – ele vive a música. Necessita de introspecção para se inspirar e, geralmente, começa pela melodia e então vai escrevendo a letra musical, criando o conjunto.

Escreve textos relacionados ao meio ambiente e também poesias. Ele não fala que é um poeta, mas pensa que está no caminho da poesia, pois vive isso também.

Jaconias se preocupa muito com o meio ambiente. Demonstra ter muita experiência e vários pensamentos voltados para essa área.

Para ele, o ser humano está em constante transformação, ele se considera uma “metamorfose” ambulante.

A PRIMEIRA MÚSICA

“Flores do Vale” foi a primeira música que o Jaconias concluiu. Ele começou a criá-la no Parque Estadual do Rio Preto, desenvolvendo-a também na Praia do Lapeiro e na sua casa. Inspirou-se no Vale do Jequitinhonha, com o qual tem uma ligação muito forte. Ele fala que quando puder conhecerá todas as cidades do Vale, convivendo com as suas comunidades e cultura.

No vídeo, ouça a Flores do Vale tocada e cantada pelo seu criador!

“Lua nova, doce menina, tem cheiro de flor,
Nasceu pra colorir, iluminar o Vale (…)”.

E neste link você pode também ouvir a Flores do Vale, com imagens de fundo, diretamente do canal do YouTube do Jacó do Vale:
Flores do Vale no YouTube

PARTICIPAÇÃO NA BANDA APAGÃO

Lembra-se com emoção da Banda Apagão, um conjunto de forró que muito alegrou Rio Preto. Ele fez parte dessa banda – vocal e violão ou vocal e zabumba – cujo nome foi uma simples coincidência com uma época de apagão (corte ou colapso temporário de energia elétrica) no Brasil; segundo Jaconias, essa banda tinha esse nome em homenagem à cor negra de todos os seus quatro integrantes: Jaconias, Jeremias (seu irmão), Geraldinho (filho da dona Dina) e Preto (filho da dona França).

JACÓ DO VALE

Jacó do Vale – esse é o seu nome artístico em carreira solo. “Jacó” vem de Jaconias e “Vale” vem do Vale do Jequitinhonha. Conta Jaconias que, num certo dia, alguém o agradeceu por ele usar esse nome, por fazer uma ligação com o nome Dodô do Vale (outro cantor e saudoso riopretano), no que ele ficou muito surpreso (pois foi mera coincidência) e pensa que é ele que tem que agradecer: “Quem me dera chegar, ou estar no nível do Dodô”, disse Jaconias.

Jacó do Vale, no Vale, já se apresentou em Senador Modestino Gonçalves, Diamantina, Couto de Magalhães de Minas, Felício dos Santos, Turmalina, Carbonita, Mendanha e, obviamente, em São Gonçalo do Rio Preto.

Jaconias também é integrante da Banda Gaturanhas (vocal e guitarra), desde setembro/2014.

Telefone de contato para show: (38) 9991 8199.

OUTROS GOSTOS

Jaconias gosta também de fazer caminhadas pela natureza, acampar, jogar peteca, refletir sobre a existência humana e sobre a fé.

ÍDOLO

Jesus Cristo.

RELIGIÃO

Para ele, a religião é a prática do bem, ou a não prática do mal, o respeito entre as pessoas, o saber viver acreditando no que acha certo, sem prejudicar o outro, sem implantar alienação na cabeça de outras pessoas.

POLÍTICA

Para ele, o lado bom da política está totalmente ligado à formação espiritual do cidadão, pois aquele bom político é justamente aquele que tem uma evolução espiritual melhor. Ele acha que é muito importante a educação para se melhorar a política.

FILOSOFIA DE VIDA

Viver em igualdade com todas as pessoas. Todos terem a liberdade para fazer o que quiser, desde que o que forem fazer não seja prejudicial ao próximo.

SONHOS

Morar na roça, viver da terra, construir uma família, ter uma esposa bacana e, quando der, poder sair para cantar e, também, poder contribuir de alguma forma para termos uma sociedade mais justa, mais inteligente, mais ligada às bênçãos que Deus nos deixou.

REVELAÇÃO PESSOAL

Na entrevista, Jaconias nos revela um sentimento seu, algo que os riopretanos nem imaginam sobre ele, mas que ele admite com muita maturidade (saiba o que é vendo o vídeo).

Sobre Diego Emanuel

Riopretano, poeta e programador. Acredita que o mundo melhor começa em nós mesmos, e que será construído com cada ser humano pensando o bem a qualquer outro – caminho para a felicidade individual -, com educação, trabalho que liberta e automação.

Veja também

Aralúcia Leão Rocha

Aralúcia Leão Rocha (mais conhecida como Lucinha), escritora e poetisa, nasceu no dia 28-9-1949, em …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *